sábado, 13 de setembro de 2008

FOCO 27 : A REGIÃO DA CAXEMIRA !

O mapa acima se refere à região conhecida como Subcontinente Indiano, onde existe um conflito entre Indianos e paquistaneses pelo controle da CACHEMIRA !
O mapa acima, se refere à região conflituosa conhecida como CAXEMIRA, onde Indianos e Paquistaneses vivem em conflitos pela mesma !
A Caxemira (ou “Kashmir”) é uma região montanhosa ao norte da Índia e do Paquistão e que possuía na época da independência da Índia (1947) uma posição vantajosa considerando-se que ficava bem próxima da região do Tadjiquistão, então parte da União Soviética. Localizada no norte do subcontinente indiano a Caxemira também engloba as regiões de Jammu e Ladakh fazendo fronteira com a China a nordeste. Atualmente a região da Caxemira se divide em quatro áreas diferentes: os Territórios do Norte e a Caxemira Livre, pertencentes ao Paquistão, a região de Jammu e Caxemira pertencentes à Índia e a região de Aksai Chin sob ocupação chinesa.Os conflitos pela região da Caxemira, ou a questão da Caxemira, se iniciaram no final da colonização britânica, em 1947 logo após a II Guerra, quando todo o subcontinente indiano que até então era dominado pela Inglaterra, foi dividido em dois países, a Índia e o Paquistão. A divisão se deu através da união das regiões de maioria muçulmana constituindo o Paquistão e das regiões de maioria hindu constituindo a Índia. Os hindus e os muçulmanos nunca se entenderam muito bem. Para os adeptos do hinduísmo ou do islamismo não se trata apenas de religião, são modos de vida diferentes, visões de mundo diferentes. A religião hindu, surgida na Índia, reverenciava vários deuses diferentes ao contrário da religião islâmica, trazida por conquistadores, que acreditava num deus único e tinha em Maomé sua figura maior. Sem contar que os hindus viviam em uma sociedade de castas, extremamente hierarquizada, onde não havia igualdade entre os indivíduos, contrastando com o que era pregado pela religião maometana de que todos os homens são iguais perante Deus. Quando da época da independência da Índia, o líder religioso Mahatma Gandhi (hindu) conduziu milhares de pessoas em uma manifestação pacífica contra a dominação britânica pregando seu sonho de constituir um país único e independente onde todas as etnias e religiões pudessem viver igualmente. Mas, o sucesso do partido criado por ele (Congresso Nacional Indiano) despertou nos muçulmanos,q eu não puderam compreendê-lo, o medo de que os hindus, liderados por Gandhi, constituíssem um estado governado pela sua religião onde eles fossem perseguidos. Nesse contexto, surgiu a Liga Muçulmana para lutar pela divisão da região em dois estados, sendo um deles, de muçulmanos. Inicia-se então, uma guerra não declarada entre os muçulmanos e indianos que começam a atacar-se mutuamente em uma série de atentados culminando com o assassinato de Gandhi e, com a morte de milhares de hindus e islamitas durante o período de independência enquanto tentavam se deslocar cada qual para o respectivo país que se constituía. Nesse período o marajá da Caxemira, o hindu Hari Singh, pediu apoio à Índia para se defender da tribo dos Pathans que haviam invadido a região. E, como recompensa, cedeu o território de Jammu e Caxemira à Índia provocando a revolta dos 80% da população da região que eram islamitas. Apoiados pelo Paquistão eles, então, começam a reivindicar sua independência.A ONU, tentando resolver o conflito, determinou que a própria população da região decidisse de qual estado faria parte através de um plebiscito. Mas, a Índia nunca permitiu que o plebiscito fosse realizado, fazendo eclodir uma guerrilha que já dura a mais de 50 anos, resultou em duas guerras entre os dois países (1965 e 1971) e serviu de pretexto para uma corrida armamentista nuclear.É importante salientar que a guerra de independência se deu durante o período da guerra fria, com o Paquistão recebendo apoio dos EUA e a Índia da URSS e a região da Caxemira possuía uma posição estratégica. Desta forma, o terreno ficou extremamente propício para que os países iniciassem os testes para produção de armas nucleares visto que tanto os EUA quanto a URSS não gostavam nenhum pouco da idéia de a China Popular ser a única potência em tecnologia nuclear na Ásia. Assim, a Índia realizou seu primeiro teste com uma arma nuclear em 1974 e o Paquistão em 1998 pondo à baixo todas as esperanças de um final para este conflito.

Disputas pelo território
Atualmente localizada no norte do
subcontinente indiano, a Caxemira é disputada por Índia e Paquistão desde o fim da colonização britânica. As tensões na região têm início com a guerra de independência, em 1947, que resulta no nascimento dos dois Estados - a Índia, de maioria hindu, e o Paquistão, muçulmano. Segundo uma resolução da ONU datada de 1947, a população local deveria decidir a situação política da Caxemira por meio de um plebiscito acerca da independência do território. Tal plebiscito, porém, nunca aconteceu, e a Caxemira foi incorporada à Índia, o que contrariou as pretensões do Paquistão e da população local - de maioria muçulmana - e levou à guerra de 1947 a 1948. O conflito termina com a divisão da Caxemira: cerca de um terço fica com o Paquistão (Caxemira Livre e Territórios do Norte) e o restante com a Índia (Jammu e Caxemira).
Em
1962, a China conquista um trecho de Jammu e Caxemira (Aksai Chin); no ano seguinte, o Paquistão cede aos chineses uma faixa dos Territórios do Norte. Um novo conflito, em 1965, não traz modificações territoriais.
Nos anos 1980, guerrilheiros separatistas passam a atuar na Caxemira indiana. Mais de 25 mil pessoas morrem desde então. A Índia acusa o governo paquistanês de apoiar os guerrilheiros - favoráveis à unificação com o Paquistão - e intensifica a repressão.
A situação da área continua tensa - além do conflito com o Paquistão, existe atualmente um forte movimento pró-independência na Caxemira.
Explosões nucleares
O conflito serve como justificativa para a militarização da fronteira e para a corrida armamentista. Índia e Paquistão realizam testes nucleares em
1998 e, em abril de 1999, experimentam mísseis balísticos capazes de levar ogivas atômicas, rompendo acordo assinado meses antes. Os dois países chegam à beira da guerra total. O primeiro-ministro ultranacionalista da Índia, Atal Vajpayee, ordena um pesado contra-ataque, que expulsa os separatistas em julho. A derrota paquistanesa leva a um golpe militar, liderado pelo general Pervez Musharraf, que depõe o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif. Índia e Paquistão travam na Caxemira, em 1999, um confronto com um saldo de 1200 mortos.
Terrorismo
Uma onda de explosões mata dezenas de civis nas maiores cidades paquistanesas, entre o final de 1999 e o primeiro semestre de
2000. Fracassam negociações de paz entre o governo da Índia e separatistas muçulmanos da Caxemira em julho de 2000. Os combates recomeçam, assim como as ações terroristas nos territórios do Paquistão e da Índia. Em agosto de 2000, o Hizbul Mujahidine, principal grupo separatista muçulmano na Caxemira, anuncia uma trégua unilateral. A Índia suspende operações militares na Caxemira, pela primeira vez em 11 anos. As negociações fracassam diante da recusa da Índia em admitir o Paquistão na negociação de paz.

NOTÍCIAS ATUAIS SOBRE O TEMA

Dois mortos e dezenas de feridos em distúrbios na Caxemira indiana
SRINAGAR, Índia (AFP) — Duas pessoas morreram e dezenas ficaram feridas em novos confrontos entre separatistas muçulmanos e a polícia nesta sexta-feira na Caxemira indiana, território afetado desde junho por uma grave crise.
Milhares de policiais foram mobilizados na parte indiana da Caxemira, habitada em sua maioria por muçulmanos, para conter os manifestantes que atiravam pedras aos gritos de "Liberdade" e "Alá é grande".
Em Shopian, 50 km ao sul de Srinagar, capital de verão da Caxemira indiana, a polícia abriu fogo contra os manifestantes e lançou bombas de gás lacrimogêneo.
Policiais afirmaram que 30 pessoas ficaram feridas.

11 comentários:

Prof EU disse...

Neste conflito, percebe-se que os interesses Econômicos superam os Religiosos, e isso, acaba por tornar a Região mais tensa.

Anônimo disse...

Viver em guerra só trás medo e tristeza gostaria que eles resolvecem esse problema logo.

amandadeangeli disse...

Como vários conflitos internacionais, o da Caxemira em particular é um dos mais perigosos, devido a existencias de bombas nucleares e a dualidade religiosa

beatriz disse...

A região da caximira possuia uma posição estratégica!
muito interesante falar desse asunto que a cada dia mais passando mais conhecimentoss para nos estudantes!
:D

Pedro Henrique disse...

Esse conflito e de grandes proporçoes, devido ao arsenal belico dos paises envolvidos, no qual se deve esse motivo

Anônimo disse...

A pubicação feita possui um contexto muito bom em relação ao conteúdo, pois relata um fato que as vezes as pessoas não interessam muito pelo assunto, passando despercebido...
Por isso achei ótima essa publicação.

Jerônimo Monteiro disse...

Os conflitos internacionais, sempre causam discórdia entre nações vizinhas. A exemplo claro desse conflito, é a caxemira. Povos com etnias diferentes, enfretam - se pela disputa de terras, causando mortes e descontrole na administração desse país.
O conteúdo postado explicita claramente o que ocorre na região da caxemira, sendo, muito bom para estudo!

Anônimo disse...

A caxemira é uma região que está sofrendo bastante com os conflitos. A Africa já é um pais em sua totalidade, muito sofrido, então conflitos como esse só agravam a questão africana.

Jéssica Mathielo disse...

A disputa pela Caxemira, é um conflito etnonacionalista e de violência coletiva. Por se tratar de dois países que possuem armas nucleares, o conflito acaba sendo o mais perigoso da Ásia, o que implica em violências, homicídios, incêndios e destruição de propriedades.

Anônimo disse...

A caxemira é uma região que está sofrendo bastante com os conflitos. A Africa já é um pais em sua totalidade, muito sofrido, então conflitos como esse só agravam a questão africana.

Anônimo disse...

a região da caxemira tem sofrido muito com as lutas entre Índia e Paquistão por ela. esta disputa ocorrente mata muitos civis atraves do terrorismo e ate mesmo de bombas nucleares.